segunda-feira, 16 de março de 2015

Nenhuma aliança vai segurar qualquer relacionamento

Aliás, a aliança, muitas vezes, é mais um símbolo de ego, do que amor. Mais um símbolo de status, do que companheirismo. Se é um sonho ou uma realização pessoal, ótimo - cada um decide como celebrar seus sentimentos. Mas nunca deixe o óbvio de lado

1. Respeito Mútuo
 
Não deixar que a intimidade extrapole o limite do respeito é um dos maiores desafios das relações a dois. Respeitar o outro enquanto ser humano é, sem dúvida, o primeiro passo para construir uma vida ao seu lado.

2. Simplicidade
 
Muitos não acreditam, mas o amor não é nada pomposo. Enquanto nos ocupamos em preparar festas, alianças, vestidos brancos, presentes caros e jantares sofisticados à luz de vela, há uma vida belíssima nos esperando lá fora.

Relacionamentos saudáveis têm nos momentos mais simples os mais inesquecíveis. Casais bem resolvidos não precisam de cruzeiros, reservas em restaurantes e grandes comemorações. Conseguem celebrar o amor nos mares do Caribe ou no boteco da esquina, são felizes em Paris ou na cama assistindo Netflix. O amor é simples como a vida. 

3. Bom-Humor
 
Acredito piamente que uma pitada de bom-humor é capaz de salvar vidas. Dê um bom dia bem humorado ao taxista e ele lhe será solícito. Seja cordial com uma atendente de banco e ela lhe ajudará sem nenhum interesse - pura e simplesmente porque o bom humor é um grande facilitador.

Nas relações a dois ele é igualmente indispensável. É preciso encarar os estressas da vida conjugal com leveza. Um sorriso matinal não custa nada e pode mudar o dia de quem você ama!

4. Sinceridade
 
Pequenas mentiras são capazes de ceifar até mesmo os grandes amores. E, em relações de longa data, são facilmente decifráveis - porque não dá pra mentir pra quem te conhece.

A hipocrisia é o câncer das relações modernas. É preciso dizer que você sente desejo por outras mulheres ou que talvez ele precise de uma dieta. A sinceridade nas coisas simples gera uma confiança tão incondicional que nos faz capazes de acreditar até nas verdades menos críveis.

5. Sonhos em comum
 
Não dá pra caminhar de mãos dadas em estradas opostas. É preciso ser franco - e, de preferência, a tempo - sobre os planos de cada um.

Se você pensa em vender artesanato na praia, você provavelmente não poderá dividir uma vida com alguém que pretende administrar uma grande empresa. O amor tem questões práticas e nada românticas que eventulamente precisam ser consideradas.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Luan Santana - Escreve aí - "DVD Luan Santana Acústico" (Vídeo Oficial)

Vantagens em namorar mulher mais velha

Elas não perdem tempo com frescura, não estão de olho na sua carteira e só discutem o relacionamento quando é necessário.


As mulheres mais velhas já passaram da fase de sentir vergonha ou não saber o que querem na cama. Elas sabem como rebolar, como chupar e como realizar os seus maiores fetiches.

A vida de um homem com idade na casa dos vinte e poucos anos é muito complicada. Ele não é mais um adolescente, tão pouco é um adulto. Ele quer aproveitar todos os prazeres que a vida pode oferecer, mas não sabe qual o caminho percorrer para viver essas experiências. Ele quer transar com todas as mulheres gostosas que passam em sua frente, mas sua experiência sexual não acompanha tal vontade. 

Por essa falta de experiência, os homem normalmente procuram mulheres para beijar, transar e namorar nas baladas da moda, onde as que mais chamam sua atenção são as mais novas, gostosas, bonitas e vestindo saias da largura de um cinto. Não é por acaso que na hora H aquela gostosa se revela uma fresca na cama ou aquela menina linda mostra que não sabe conversar sobre nada além de roupas, séries de TV, shows de música e academia. Se relacionar com mulheres desse tipo é pura perda de tempo, já que todo homem que se preze procura uma mulher que não seja fresca, que tenha atitude na cama, que seja independente, que corra atrás de seus sonhos e que não tenha interesse por uma carteira recheada. 

Para os homens pararem de perder tempo em sua vida amorosa e sexual existe um caminho: Se relacionar com mulheres mais velhas. Para facilitar o entendimento dos machos de plantão que preferem sair com menininhas, listamos as principais vantagens que um homem tem com esse tipo de relação.

Namorar uma mulher com a cabeça de 30 em um corpo de 20.
A medicina estética e os exercícios de academia evoluíram muito nos últimos anos, fazendo mulheres de 35 roubarem a cena de garotas de 20.

Ter uma mulher com opinião própria.
Nada é pior do que mulher que não têm opinião, que nunca têm sugestões de lugares para sair, que nunca desenvolve ideias novas e que nunca questiona as coisas erradas que a sociedade acha normal. Mulheres mais velhas já desenvolveram sua opinião, fazendo o namoro ser muito mais interessante.


Fazer sexo de verdade.
As mulheres mais velhas já passaram da fase de sentir vergonha ou não saber o que querem na cama. Elas sabem como rebolar, como chupar e como realizar os seus maiores fetiches. O homem atinge um nível de prazer no sexo que nenhuma modelinho gostosa de 20 anos poderia proporcionar.
 
Ter uma conselheira exclusiva.
Por causa da experiência de vida, a mulher mais velha sempre terá conselhos bem fundamentados sobre questões profissionais e pessoais.

Aprender mais do que ensinar.
Em um namoro entre duas pessoas da mesma idade a troca de aprendizados é equilibrada, já que os dois ensinam e aprendem na mesma proporção. Namorando uma mulher mais velha, o homem aprende muito mais do que ensina, se transformando em uma pessoa melhor em menos tempo.

Discutir o relacionamento só quando for realmente necessário.
Mulheres gostam de discutir o relacionamento por natureza, mas as mais jovens o fazem por qualquer motivo, enchendo o saco até dos homens mais pacientes. As mulheres mais velhas só querem discutir o relacionamento quando realmente é preciso, para o bem do namoro.

Diminuir a probabilidade de ser traído.
As mulheres mais novas estão sempre querendo viver novas experiências, mesmo se essas experiências claramente não mostrarem futuro. Uma mulher mais velha só vai trair se o relacionamento estiver ruim ou se ela conhecer um homem mais interessante que o atual. 
Ter ao seu lado uma mulher que não está de olho em sua carteira.
As mulheres mais velhas já conquistaram uma boa posição profissional e como consequência, um bom salário. Elas possuem sua própria casa, seu próprio carro e bancam todos os mimos que uma mulher merece. O que interessa em um homem para elas é se ele é carinhoso, humilde, atencioso e se manda bem na cama.

Parar de peder tempo com frescuras.
É normal os homens encontrarem por aí mulheres que não podem tomar chuva no cabelo, que se não estiverem com a unha feita não saem de casa, que não saem para se divertir em qualquer lugar e que para transar precisam estar com aquela calcinha de duzentos reais. As mulheres mais velhas já transcenderam essas frescuras, tornando o dia-a-dia do namoro muito mais gostoso e leve.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

ARRITIMIA CARDÍACA

O que é arritmia cardíaca? Arritmia cardíaca é um problema na velocidade ou ritmo do batimento cardíaco. Durante uma arritmia o coração pode bater muito rápido, muito devagar, ou com ritmo irregular. Batimento cardíaco muito rápido é chamado de taquicardia, enquanto muito devagar chama-se bradicardia. A maioria das arritmias não causa danos, porém algumas podem ser sérias ou até precisar de tratamento para toda a vida. Com arritmia cardíaca o coração pode não ser capaz de bombear sangue suficiente para o corpo, o que pode danificar o cérebro, coração e outros órgãos.

Causas da arritmia cardíaca: Arritmia pode ocorrer quando os sinais elétricos que controlam os batimentos cardíacos ficam atrasados ou bloqueados. Isso pode acontecer quando as células nervosas especiais que produzem o sinal elétrico não funcionam apropriadamente, ou quando os sinais elétricos não viajam normalmente pelo coração. Uma arritmia também pode ocorrer quando outra parte do coração começa a produzir sinais elétricos, adicionando aos sinais das células nervosas especiais, e alterando o batimento cardíaco normal.Estresse, fumo, grande ingestão de álcool, exercício físico muito forte, uso de certas drogas (como cocaína e anfetaminas), uso de alguns medicamentos, e muita cafeína podem ocasionar arritmia em algumas pessoas. Um ataque cardíaco, ou outras condições que danificam o sistema elétrico do coração, também podem causar arritmia. Essas condições incluem pressão alta, doença da artéria coronária, insuficiência cardíaca, hipotireoidismo, hipertiroidismo, e doença reumática do coração. Para algumas arritmias, como a síndrome Wolff-Parkinson-White, o defeito cardíaco que causa a arritmia está presente no nascimento (congênito). Algumas vezes a causa de uma arritmia não pode ser encontrada.

Sintomas da arritmia cardíaca:

Muitas arritmias não ocasionam nenhum sinal ou sintoma. Quando os sinais e sintomas estão presentes, os mais comuns são:
* Palpitações cardíacas (sensação de que o coração pulou uma batida ou está batendo muito forte).
* Batimento cardíaco lento.
* Batimento cardíaco irregular.
* Sensação de pausa entre os batimentos cardíacos.

Sintomas e sinais mais sérios incluem:
* Ansiedade.
* Fraqueza.
* Tonteira e dor de cabeça leve.
* Transpiração.
* Falta de fôlego.
* Dor no peito.

Tratamento de arritimias

Os tratamentos mais comuns para arritmias incluem remédios, procedimentos médicos e cirurgia. O tratamento é necessário quando a arritimia causa sintomas sérios como tonteira, dor no peito e desmaio, ou quando ela aumenta a probabilidade de desenvolver complicações como insuficiência cardíaca ou ataque cardíaco súbito.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

O QUE É CAFONA

Cafona: Ridículo, feio, antiquado. A pessoa quer ser chique. Cafona é quando você usa algo que realmente não tem nada a ver com o que era o esperado. É uma gafe modística. Creio q brega é aquele, q faz pra se divertir e o cafona é aquele q acha q aquilo é um estilo de vida criado por ele e q deve até ter adeptos... Brega e cafona são a mesma coisa. Cafona é uma gíria mais antiga, foi praticamente substituída por "brega", como acontece com a maioria das gírias, que constantemente são atualizadas.+ Brega, no modo simples de falar, com origem nordestina, significa "lupanar", "prostíbulo". Também tem a acepção de "deselegante", "cafona" ou "foleiro", em uma clara referência ao estilo de seus freqüentadores.
Na música popular brasileira, ou MPB, designa, finalmente, um gênero musical de cunho popular ou determina ainda a arte de pouco refinamento ou de pouca qualidade. A denominação, originalmente de cunho pejorativo e discriminatório, foi entretanto sendo incorporado e assumido, perdendo com o tempo esta acepção. Você é brega ou cafona?Ókei. Polêmico. Calma bem, é só um ponto de vista meu de minha pessoa tipo eu mesma, sabe? Outro dia me revirei na cama (sem pensar em baxarias, safadeenho)...me revirei na cama com uma dúvida....sabe aquelas dúvidas que tiram nosso sono e consomem nossa competência? A diferença entre (o charme e o fuuunk?...hahah lembra?) ...não, num é isso.....a diferença entre o BREGA E O CAFONA. Há de existir...Algum filósofo EVER estudou sobre isso? Algum psicólogo algum dia levantou este assunto em sua tese de doutorado??? Eu sei...é tenso. Mas eu tiiiiro sua tensão... Bom...invoquei o Deus Google (Images). Fui lá e botei a palavra BREGA. Primeiríssima foto que apareceu foi do FALCÃO! O Ninja, o Rei, o ****, o que NOT DOG é !! Demais....e ele se diz brega, certo? Outros exemplos que pessoas que assumem a breguisse e que são DEMAIS: Wander Wildner (na atual carreira solo), Sidney Magal, Rosa e Rosinha (lembra hahaha), As Marcianas (Vô te amarrá na minha caaaamaaaa), o He-Man, o Giraya, a Patrine, Super Vicky, Cavalo de Fogo, e por aí vai....ok, esses últimos não assumiram a breguisse na época, mas hoje devem olhar e dizer "uau, we were really bregas, right?", e são DEMAIS anyway.
Agora o cafona....tá....joguei no Google e...bom, foi meio confuso....apareceram imagens de festas bregas, que, na verdade, deram o nome de "cafonas", apareceu fotos de pessoas normais, e...AHAAAANNN...pessoas normaaaais....cuidado...você pode ser cafona E NÃO SABE!!! Aí já matei minha tese....a pessoa ou coisa, é brega quando ela quer ser, ou quando, apesar de REDÍEEECOLO, mesmo assim continua legal, divertido... tipo VERY NICE & FUN..........a pessoa ou coisa CAFONA, ela TENTA ou ACHA que tá parecendo bonita, chic, sexy ou legal, MAS NÃO ESTÁ.....está cafoooona.....o cafona, é involuntário....vc as vezes faz o possível pra parecer COOL, mas na verdade está cafona....o cafona, é o "tentei ser legal, mas num rolou, tô redieeecolo, e só EU num percebo...".... sabe? Tipo.....aquela sua tia que até hoje usa OMBREIRA...OH GOAAAD.....ou aquela sua amiga que se acha A LINDA de bota de camurça e cinto caramelo indo pra balada, ou sua irmã que ciiiiisma em usar o brinco turquesa com tiara de pano TAMBÉM azul turquesa, ou seu namorado, que gosta de passar um gelzão bozzano no cabelo pra deixar ele espetadinho??A Praça é Nossa?? Zorra Total?? Tipo....hello??? Ca-fo-ni-nha ??? Wake up and smell the coffee! Tu é zuado, meu bem !Eu por exemplo, uso a palavra "cafoninha" mas pra designar até amigas queridas....é que É DE FATO uma palavra expressiva...gosto do jeito que ela soa....CA-FO-NA....ela tem um quê de glamour..... massss...é a mesma coisa, amigas se xingarem com carinho....tipo "ow sua vaquinha, saudades de você!" , ou "Mas tu é uma galinha mesmo né, por isso que te amo"......nessa entonação, a uso como palavra positiva, massss, CUIDADO, ser cafona é ser ridículo e não saber. Significa que você precisa de mudanças!! E por concluída se faz minha tese.....Ufa. Agora eu durmo, e sua vida mudou, fala aí? Na minha opinião é um sujeito que faz a própria moda. Se ele acha bacana algo ele usa. Ao contrario das "marias-vai-com-as-outras" que em pleno inverno no sul, usam as costas de fora.....Falcão é um sujeito genial e é brega....Zé do caixão também... Marcos Pontes nem se fala .... ( todo mundo de terno e ele de macacão ) E tantos outros que são brega por ai, e vivem bem, muito obrigado. Cafona é uma pessoa desprovida de bom gosto, ou seja, dotada de mau gosto sendo este principalmente devido ao seu vestuário e situações corriqueiras da vida (não sabendo se portar, sendo cafajeste).

Na verdade cafona são aquelas pessoas JECA QUE SIGNIFICA: CAIPIRA, MATUTO, SERTANEJO, são pessoas que não sabe se comportar, que não sabem o que é roupa de qualidade, são pessoas que tem pregiça: Pouca disposição para o trabalho; aversão ao trabalho; inação, mandriice. 2. Demora ou lentidão em fazer qualquer coisa; indolência, moleza; morosidade, negligência.

Antes de falar sealguém é cafona, pare, pense e o principal se olhe no espelho.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Ciúme

ciúme é "a reação complexa a uma ameaça perceptível a uma relação valiosa ou à sua qualidade."Provoca o temor da perda e envolve sempre três ou mais pessoas, a pessoa que sente ciúmes - sujeito ativo do ciúme -, a pessoa de quem se sente ciúmes - sujeito passivo do ciúme - e a terceira ou terceiras pessoas que são o motivo dos ciúmes - pivô do ciúme.
Segundo a
psicóloga clínica Mariagrazia Marini, esse sentimento apresenta caráter instintivo e natural sendo também marcado pelo medo, real ou irreal, de se perder o amor da pessoa amada.
O ciúme está relacionado com a falta de confiança no outro ou em si próprio e, quando é exagerado, pode tornar-se patológico e transformar-se em uma obsessão.
A explicação psicológica do ciúme pode ser uma persistência de mecanismos psicológicos infantis, como o apego aos pais que aparece por volta do primeiro ano de vida ou como consequência do
Complexo de Édipo não resolvido entre os quatro e seis anos de idade, a criança se identifica com o progenitor do mesmo sexo e simultaneamente tem ciúmes dele pela atracção que ele exerce sobre o outro membro do casal; já na idade adulta, essas frustrações podem reaparecer sob a forma de uma possessividade em relação ao parceiro, ou mesmo uma paranóia.
Nesse tipo de paranóia, a pessoa está convencida, sem motivo justo ou evidente, da infidelidade do parceiro e passa a procurar “evidências” da traição. Nas formas mais exacerbadas, o ciumento passa a exigir do outro coisas que limitam a liberdade deste
.
Os casos mais graves podem ser curados através da
psicoterapia que passa por um reforço da auto-estima e da valorização da auto-imagem.
Outros casos mais leves podem ser tratados através da ajuda do parceiro, estabelecendo-se um diálogo franco e aberto de encontro, com a reflexão sobre o que sentem um pelo outro e sobre tudo o que possa levar a uma melhoria da relação, para que esse aspecto não se torne limitador e perturbador.


Conjunto de emoções

Ciúme e flerte (Haynes King)
Ciúme é uma reação complexa porque envolve um largo conjunto de emoções, pensamentos, reações físicas e comportamentos:
Emoções –
dor, raiva, tristeza, inveja,medo, depressão e humilhação;
Pensamentos – ressentimento, culpa, comparação com o rival, preocupação com a imagem, autocomiseração;
Reações físicas - taquicardia, falta de ar, excesso de salivação ou boca seca, sudorese, aperto no peito, dores físicas.
Comportamentos –, questionamento constante , busca frenética de confirmações e ações agressivas, mesmo violentas.

Ciúme como mero sentimento

O ciúme, em princípio, é um sentimento tão natural ao ser humano como o tédio e a raiva. Nós sempre vivenciamos este sentimento em algum momento da vida, diferem apenas suas razões e as emoções que sentimos. Como todo sentimento, tem seu lado positivo e seu lado negativo

O lado positivo: protege o amor

Nos relacionamentos onde os sentimentos de ciúme são moderados e ocasionais, ele lembra ao casal que um não deve considerar o outro como definitivamente conquistado. Pode encorajar casais a fazer com que se apreciem mutuamente e façam um esforço consciente para assegurar que o parceiro se sinta valorizad.
Ciúme potencializa as emoções, fazendo o amor se sentir mais forte e o sexo mais apaixonado. Em doses pequenas e manejáveis, ciúme pode ser um estímulo positivo num relacionamento. Mas quando é intenso ou irracional, a história é bem diferente.

O lado negativo: prejudica o amor

Às vezes sentimentos de ciúme podem ficar desproporcionais. Por exemplo, quando um homem provoca uma cena embaraçosa numa festa porque sua mulher aceita um convite para dançar com um velho amigo ou quando uma mulher é tomada de ciúmes excessivos pelo fato de o marido ter uma mulher como chefe no trabalho.
Este tipo de reação pode afetar gravemente uma relação, levando o outro parceiro a sentir-se constantemente pisando em ovos para evitar uma crise de ciúme. O parceiro ciumento, muitas vezes ciente de seu problema, oscila entre sentimentos de culpa e auto-justificação.

Ciúme e inveja

O ciúme está intimamente relacionado à inveja. A diferença é que a inveja não envolve o sentimento de perda presente no ciúme. Mas ambas são um misto de desconforto e raiva e atormentam aquele que cobiça algo que outra pessoa tem. Quanto mais baixa for a auto-estima, mais propensa está a pessoa de sofrer com um dos dois sentimentos.
Outra diferença entre ambos reside no fato de o ciúme, quando ultrapassa certo limite, se transforma em patologia, coisa que não acontece com a inveja.
Ciúme e inveja desviam o foco de quem os sentem para os cuidados com a própria vida, tão preocupado fica com a vida de outra pessoa. Por outro lado, se enfrentados, podem levar a atitudes positivas como melhorar a aparência, desenvolver novas habilidades e trabalhar a auto-estima.
Como regra, a mulher é mais propensa que o homem a sentir ciúme ou inveja de relacionamentos, enquanto o homem é mais frequentemente atormentado por diferenças de status, renda e poder.

Ciúme patológico

O ciúme patológico é visto pela psiquiatria como uma espécie de paranóia (distúrbio mental caracterizado por delírios de perseguição e pelo temor imaginário de a pessoa estar sendo vítima de conspiração)[carece de fontes?]. Para o ciumento, a fronteira entre imaginação, fantasia, crença e certeza se torna vaga e imprecisa, as dúvidas podem se transformar em idéias supervalorizadas ou delirantes.
Quem sente ciúme a esse nível tem a compulsão de verificar constantemente as suas dúvidas, a ponto de se dedicar exclusivamente a invadir a privacidade e tolher a liberdade do parceiro: abre correspondências, bisbilhota o computador, ouve telefonemas, examina bolsos, chega a seguir o parceiro ou contrata alguém para fazê-lo. Toda essa tentativa de aliviar sentimentos, além de reconhecidamente ridícula até pelo próprio ciumento, não ameniza o mal estar da dúvida, até o intensifica.
A pessoa ciumenta apresenta na sua personalidade um traço marcante de timidez e sentimentos de insegurança, problemas que costumam ter raízes na infância . Nesse caso, o tratamento passa por aplicação de técnicas de psicoterapia para melhorar a confiança do paciente em si mesmo. O processo deve envolver sua família pois o apoio no lar é imprescindivel nesses casos. Reduzido o sentimento de insegurança, é esperado que diminua a aflição do ciúme. Só quem confia em si mesmo pode confiar em outros, de modo que parece lógico começar o tratamento pelo fortalecimento da autoconfiança.
Não menos importante é atacar os sintomas físicos que o ciúme patológico provoca. O desequilíbrio no sistema nervoso aumenta o nível de adrenalina, interfere na dinâmica dos neurotransmissores e está na origem de muitas doenças psicossomáticas. Por isso, é fundamental apurar as causas desses sintomas e gastar a energia negativa em atividades como os exercícios físicos, meditação e trabalho que traga gratificação.

Ciúme entre irmãos

Ciúme entre irmãos: desafio para os pais (fotomontagem de Luiz Moraes
Muitos pais consideram que o ciúme, raiva ou inveja não são sentimentos nobres e que não podem conviver com outros sentimentos assim considerados. Ciúme e amor, no entanto, não se excluem, irmãos podem sentir ciúmes um do outro e ao mesmo tempo amarem-se. Neste ponto, não diferem dos adultos.
Alguns pais ficam receosos quando decidem ter o segundo filho, por não se considerarem preparados para dividir a atenção entre eles. Outros temem causar qualquer tipo de sofrimento ao primogênito. É comum os pais se reportarem a suas próprias experiências infantis e lembrarem como se sentiram com relação aos irmãos e ao afeto de seus pais.
Um recém-nascido demanda uma atenção mais intensa e imediata e o que acaba acontecendo é o primogênito sentir-se prejudicado por não ter mais a atenção exclusiva dos pais.

Ciúme em cães

Apesar de o ciúme ser uma emoção humana, muitos proprietários de cães notam que seus animais de estimação parecem exibir comportamentos aparentemente ciumentos. Geralmente isso ocorre quando uma nova pessoa entra na casa do dono e passa um longo período de tempo com ele. Exemplos clássicos são novos parceiros e a chegada de um novo bebê. São intrusos, invasores do território familiar, que tomam o tempo precioso e exclusivo que o cão passava com seu dono e, por conseqüência, eles se sentem negligenciados. Bem parecido com o que sentem as crianças humanas quando ganham um irmão.
O cão nessas circunstâncias desenvolve comportamentos depressivos como recusa ao convívio social, inatividade e perda de apetite e, no limite, agressividade.
O processo que desencadeia essa reação no cão é instintivo, somente na aparência parecendo-se com o sentimento do ciúme. O cão, por instinto, é cioso de seu espaço


ATENÇÃO: Este artigo ou secção não cita as suas fontes ou referências, em desacordo com a política de verificabilidade. Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto ou em notas de rodapé.
, que logo delimita, comportamento repetido de seus ancestrais que viviam na natureza. Quando o espaço é invadido por outro animal, a reação é, por instinto, agressiva. É a mesma reação que ocorre quando cães de guarda atacam quem invada o local guardado.
Mas quando o animal pressente que o intruso é pessoa ligada a seu dono, se vê impedido, pelo adestramento, a reagir de forma agressiva, e daí, forçado a contrariar seus instintos, desenvolve atitudes ciumentas.


Ciúme na literatura

A intensidade dramática do ciúme faz dele um tema atraente para escritores. Alguns souberam tratá-lo com maestria e produziram obras primas. Citamos o exemplo clássico de Otelo, de William Shakespeare (1603) e de três romances da língua portuguesa:Dom Casmurro, de Machado de Assis (1899), Alves & Cia., de Eça de Queiroz (1925) e São Bernardo, deGraciliano Ramos (1934).

Otelo

Otelo mata Desdêmona (desenho de Josiah Baydell, século XVIII)
Como em todas as
tragédias, desde sua origem na Grécia antiga, o destino trágico dos personagens centrais está traçado desde o início. Prisioneiros de suas próprias limitações pessoais e sociais, são arrastados para ele e não podem mudá-lo.
Otelo, o general mouro de Veneza, é prisioneiro da cor de sua pele. Por seus dotes militares, é tolerado, mas não aceito pelos venezianos, que nutrem com relação a ele sentimentos racistas. Otelo está ciente desse preconceito e se sente inseguro. Para dissimular sua insegurança, comporta-se de modo grosseiro e impulsivo, a ponto de intimidar sua própria mulher, Desdêmona.
A insegurança de Otelo faz com que seja receptivo às intrigas de Iago, que desperta seus ciúmes, insinuando um romance entre Desdêmona e Cássio. O ciúme se intensifica ao longo da peça e culmina com o assassinato de Desdêmona pelo marido. Uma acuada Desdêmona não pode também fugir a seu destino, como Otelo não pode fugir do crime e de sua autodestruição.
O ciúme é um tema fundamental na tragédia, pois além do ciúme de Otelo por Desdêmona, temos o de Iago por Cássio , porque este tem um posto militar superior ao seu, e o de Rodrigo, cúmplice de Iago, por Otelo, porque está apaixonado por Desdêmona.
É em Otelo que se encontra a mais genial - e certamente a mais popular - definição de ciúme: ciúme é um monstro de olhos verdes (a green-eyed monster).

Dom Casmurro

Se Otelo é o clássico mundial de obras literárias sobre o ciúme, no Brasil esta honra cabe a Dom Casmurro, de Machado de Assis. Até hoje é motivo de aceso debate se Capitu traiu ou não o marido com seu melhor amigo, Escobar. A questão, no fundo, é irrelevante, pois para entendermos o perfil psicológico de Bentinho, basta sabermos que ele acredita ter havido adultério.
Também é irrelevante se o fato que desencadeou o ciúme - a forma intensa com que Capitu fitava Escobar no velório deste, perturbando Bentinho a ponto de impedi-lo de pronunciar o discurso fúnebre – ocorreu na realidade ou apenas existiu na imaginação do personagem.
No despertar do ciúme, teve papel certamente preponderante o sentimento de culpa que carregava Bentinho por não cumprir a promessa de sua mãe, de tornar-se padre e daí o ressentimento inconsciente contra Escobar, que o ajudara a dissuadir a mãe de seu intento, permitindo seu casamento com Capitu.
A culpa e o ressentimento eram tão fortes que Bentinho esteve a ponto de suicidar-se. Não o fez e depois de ter perdido a mulher e humilhado a ela e ao filho, se tornou o Dom Casmurro do título.

Alves & Cia.

Pode-se dizer que o romance de Eça é sobre o anticiúme. Godofredo Alves, voltando mais cedo que o costume para casa, flagra a mulher Ludovina, abandonada, sobre o ombro de um homem, que lhe passava o braço pela cintura, e constata, petrificado, que se trata de seu sócio, Machado.
Após ofender e expulsar de casa a mulher, começa a sofrer as dores do ciúme, mas, já nas primeiras páginas Eça deixa claro que o desejo de sofrer de Alves não vai longe: Então imediatamente resolveu resistir àquele estado de perturbação e inquietação./ Quis que no seu espírito reinasse a ordem; que tudo na casa retomasse o seu ar regular e calmo.
Naquele momento, ainda não manifestava Alves a intenção de reconciliar-se com Ludovina, mas aos poucos esta intenção vai se formando no seu espírito e, ao final, do romance já estão os três juntos, o casal e o amigo Machado, brindando seu sucesso na vida e nos negócios.
Há no romance de Eça uma crítica sutil ao
capitalismo e o apego da burguesia a coisas materiais . A separação de Alves era ruim para os negócios da firma: seria mal visto na praça e perderia a colaboração de um sócio eficiente. À violência do ciúme segue-se a frieza do cálculo financeiro, a ponto de Alves duvidar até mesmo que tenha visto Ludovina em atitude comprometedora.

São Bernardo

Em São Bernardo, o tema do ciúme vem mesclado com uma crítica ao coronelismo dominante no Nordeste.
O Coronel Paulo Honório considera as mulheres bichos difíceis de governar, mas quer casar para ter um herdeiro. Decide que a mulher ideal seria a filha do juiz, mas indo a casa dela para pedir sua mão ao pai, encontra uma outra moça, Madalena, que lhe parece mais interessante e acaba por casar-se com ela.
Professora culta e politizada, Madalena desperta desconfianças do marido, por suas opiniões e por sua atitude generosa para com os explorados empregados de suas terras. Acha que ela é
comunista e comunista, sem religião, é capaz de tudo. Passa a duvidar da honestidade da mulher. Atormenta-a de tal maneira, que Madalena comete suicídio. A vida de Paulo Honório se transforma num imenso vazio. Chega à velhice solitário, perseguido pela imagem de Madalena.
Paulo Honório era dono de terras, de gado e da vontade dos homens. Casou com Madalena, não para ter uma companheira pela vida, mas com a atitude calculada de quem está acrescentando mais um item a seu patrimônio. Este novo item tinha um único propósito: dar-lhe um filho.
Mas Madalena tinha idéias e vontades próprias, não lhe pertencia porque não se submetia. Madalena era o outro que nunca teve que enfrentar e o atemorizava.
Precisava então destruí-la, pois estava em descompasso com o mundo que conhecia até então. Mas só poderia destruí-la se elaborasse em sua mente que Madalena não prestava, daí a pecha de comunista , mais uma crítica de Graciliano aos preconceitos da época, e de adúltera.
Quando Madalena se suicida, um gesto autônomo de vontade que não esperava, dá-se conta do que havia feito e, no fim do romance, solitário, conclui: Sou um aleijado. Devo ter um coração miúdo, lacunas no cérebro, nervos diferentes dos nervos dos outros homens. E um nariz enorme, uma boca enorme, dedos enormes.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

O QUE É SER PASSIONAL

Levada pelas emoções

Quando você está apaixonada ou com raiva de alguém,
seus sentimentos se sobrepõem a qualquer pessoa?

Cuidado! Isso pode afetar a sua vida sem você perceber!

Como uma pessoa se torna passional, esquecendo a razão?

“Ou a pessoa está com problemas que não consegue resolver e, assim, não mantém a serenidade, ou foi uma criança muito mimada que não recebeu limites e agora não sabe receber um não, ou ainda não sabe expressar aos poucos o que sente, represa suas emoções e, quando não agüenta mais, simplesmente explode”, esclarece a especialista.

A solução?

A conversa é a melhor saída, tentando mostrar para que é preciso mudar essa situação. Escolha alguém em quem a pessoa “explosiva” confie bastante e indique que está precisando de ajuda. Caso contrário, ela pode acabar sozinha.

No amor ou na raiva, a pessoa é totalmente impulsiva e descontrolada. Quando algo sai fora do controle, ela parte para cima. Para os terapeutas, isso ocorre porque pessoas muito passionais, são egoístas ao ponto de fazer o que bem entendem em prol de si mesmas sem medir as conseqüências.

Para entender um crime passional, precisamos entender antes, a paixão:

Paixão: do latim passione = sofrimento, sentimento excessivo; afeto violento; entusiasmo, cólera, grande mágoa; vício dominador; alucinação; sofrimento intenso e prolongado; parcialidade;o objeto de forte desejo ou de carinho profundo.

Paixão, palavra de origem Grega derivada de paschein, padecer uma determinada ação ou efeito de algum evento. É algo que acontece à pessoa independente de sua vontade ou mesmo contra ela. De paschein deriva pathos = patologia. Pathos designa tanto emoção como sofrimento e doença. As paixões, entendidas como emoções, mobilizam a pessoa impondo-se à sua vontade e à sua razão.

Então, não é aceitável a justificativa: “Matei por amor.” Aliás esta frase foi dita à imprensa de forma dramática pelo paulista Raul Fernandes do Amaral Street, o Doca Street. Horas depois de um julgamento e sob aplausos, Doca caminhou sem culpa pelo chão de um tribunal de Cabo Frio (RJ), em 1979. Fora absolvido do assassinato da namorada Ângela Diniz, com três tiros no rosto e um na nuca. Dois anos depois, a promotoria recorreu e o slogan “quem ama não mata”, repetido à exaustão por militantes feministas que acompanhavam o segundo julgamento, foi decisivo para a vitória contra a impunidade. Em decisão histórica, transmitida pela tevê, Doca foi para a cadeia. Desde então, os crimes passionais passaram a ser julgados com um olhar menos machista.